Campinas inicia fase vermelha no período noturno a partir desta terça-feira; veja mudanças

1 dia atrás 14

Decisão foi anunciada pela prefeitura por conta do aumento dos casos graves e da pressão por leitos de UTI Covid. Com a mudança, apenas serviços essenciais podem funcionar entre 21h e 5h. Movimentação no comércio de Campinas (SP); a partir desta terça (22), a cidade adota a fase vermelha do Plano SP no período noturno Wagner Souza/Futura Press/Estadão Conteúdo Campinas (SP) inicia nesta terça-feira (23) a adoção de regras da fase vermelha, a mais restritiva do Plano SP, entre 21h e 5h. Com isso, apenas atividades essenciais poderão funcionar no período até o dia 1º de março. Veja, abaixo, o que funciona em cada etapa. A medida, que pode ter a validade prorrogada caso necessário, foi anunciada pela prefeitura na segunda (22) por conta do aumento dos casos graves e da pressão por leitos de UTI exclusivos para tratamento da doença. Fevereiro já supera dezembro em mortes por Covid-19 e infectologista da Unicamp vê 2ª onda em ascensão Apesar da adoção de medidas mais restritivas no período noturno, não houve mudança da classificação no Plano SP pelo governo estadual - a região administrativa de Campinas segue classificada na fase amarela. Novas restrições A prefeitura anunciou ainda o fim da tolerância de 1h no fechamento de bares e restaurantes, bem como o encerramento obrigatório das atividades em igrejas às 21h, ainda que sejam consideradas atividades essenciais. A determinação da prefeitura não interfere, neste momento, na data prevista para retorno das atividades presenciais das escolas da rede municipal: 1º de março. Entretanto, ficam proibidas durante a fase vermelha atividades em escolas e cursos noturnos presenciais após as 21h. Campinas decreta volta às aulas presenciais na rede municipal a partir de 1º de março com 50% da capacidade Leitos de UTI Sobre a pressão por leitos, no domingo (21), a administração informou que a rede pública de saúde atingiu a lotação máxima nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes com Covid-19. Na segunda, a taxa de ocupação, incluindo a rede privada, chegou a 89,53%. A fim de suprir a alta demanda, a prefeitura informou a contração de mais 14 estruturas para o Sistema Único de Saúde (SUS) municipal. Com isso, a rede municipal sai de 107 leitos de UTI para 121. As novas estruturas devem estar em funcionamento já nesta terça. Dos 14 leitos, três foram contratados no Hospital Samaritano, quatro na Casa de Saúde e sete na Santa Casa. Já o Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp informou ter colocado em funcionamento, a partir de segunda, mais 10 leitos de UTI Covid, totalizando 30 estruturas. Fase vermelha O que fica fechado Comércio de rua e shoppings Bares e restaurantes Salões de beleza, cabeleireiros e similares Academias e centros esportivos Serviços essenciais liberados As atividades liberadas na classificação da fase vermelha são: Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal; Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local; Bares, lanchonetes e restaurantes: serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive-thru). Válido também para lojas em postos de combustíveis; Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção; Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos; Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais; Segurança: serviços de segurança pública e privada; Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens; Construção civil, agronegócios e indústria: sem restrições. Fase laranja Todos os setores de comércio e serviços passam a ser permitidos. A exceção é o atendimento presencial em bares, que continua proibido; Capacidade de ocupação: antes era de 20% e vai para 40% em todos os setores; Funcionamento máximo: ampliado de 4 para 8 horas por dia; Horário de fechamento: atendimento presencial só poderá ser feito até 20h; Parques estaduais, salões de beleza e academias: poderão abrir. Fase amarela Todas as atividades podem funcionar, exceto as não essenciais que geram aglomeração; Capacidade limitada a 40% de ocupação para todos os setores; Funcionamento máximo de estabelecimentos limitado a 12 horas por dia, com exceção de restaurantes que podem abrir por até 10 horas diárias, segundo o estado; Parques estaduais abertos; Restrição de atendimento presencial até as 20 horas em bares; Restrição de atendimento presencial até as 22 horas em todos os demais estabelecimentos. VÍDEOS: veja as últimas notícias sobre a região de Campinas Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
Ler todo o artigoe